Antônio Volponi - Nego Volponi

Antônio Volponi o quinto filho nascido no lar do casal Mário Volponi e Maria Baggio nasceu no dia 25 de junho do ano de 1941 deixando o lar do casal em festa. Apelidado pelos irmãos como “nego” brincou, estudou, aprendeu os princípios da fé cristã e pescou lambari no Ribeirão Santo Antônio.
Formou-se em letras, tornou-se um homem culto e respeitado, fez carreira como bancário e após se aposentar retornou para Jacutinga passando a dedicar-se às obras de caridade como a Pastoral Social, o Asilo São Vicente de Paula, Casa da Criança e APAE, tornando-se inclusive um grande mantenedor destas entidades.
Em 1958 Deus colocou em seu caminho um padre recém-chegado na paróquia, nosso querido Cônego e mais tarde Monsenhor Vieira, dali nasceu uma parceria mais que especial. Era um grande artista plástico e realizou lindas pinturas sacras em Jacutinga como: interior da Igreja Matriz de Santo Antônio, Igreja de São Francisco de Assis, Igreja de São Judas e também em igrejas da região.
Respeitado; um homem altruísta, culto, caridoso e amante dos animais sempre disposto a ajudar o próximo, escritor da Gazeta, artista plástico, especialista e consultor em obras sacras. Era um grande benemérito, deixando profunda tristeza quando partiu para o lado de Deus no dia 05 de abril de 2020.
“Antônio Volponi era um homem altruísta, culto, caridoso e amante dos animais sempre disposto a ajudar o próximo, escritor da Gazeta, artista plástico, especialista e consultor em obras sacras grande amigo do Monsenhor Vieira.”
* 25-0-1941
+05-04-2020

@webmaster